A História da BVC e de seu Fundador, Mitsuru Nakayama.

“Estamos no mercado brasileiro desde 2014. Conseguimos acompanhar várias startups interessantes, empreendedores incríveis e agora estamos começando o nosso 2o fundo em 2021.

Para não esquecer o espírito de empreendedorismo e minha paixão por contribuir para o sucesso dos empreendedores, eu gostaria de colocar aqui o porquê começamos o fundo de venture capital, Brazil Venture Capital.

Eu nasci e cresci em Tóquio, no Japão. Minha carreira começou em 1998, em uma consultoria de administração que se chama Bain & Company. A Bain é uma das 3 maiores e melhores consultorias nos EUA junto com a Mckinsey e o BCG (Boston Consulting Group).

Desde o início da minha carreira, tinha muita vontade de empreender. A era em vigor era a do Dot-com bubble, quando os gigantes da tecnologia estavam nascendo (como a Amazon e o Google, ainda antes do nascimento do Facebook).

A partir disso, em 2000, junto com um colega da Bain, eu fundei uma empresa que se chama 4D Corporation. Tentamos criar um serviço de Internet para ler revistas de backnumbers, criando, dessa forma, um protótipo. Com várias tentativas, conseguimos um investimento pelo fundo do Softbank.

Foi difícil, entretanto, convencer as editoras a comprarem o nosso serviço já que havia o medo da Internet obliterar a indústria da publicação. Pivotando algumas vezes, finalmente chegamos a abrir um serviço de design de interiores e venda e aluguel de móveis para consumidores no Japão.

A trajetória foi muito complicada, sem o recurso de Seed money sempre faltava investimento para aplicarmos no negócio. Porém, pouco a pouco, durante o crescimento orgânico do negócio, conseguimos falar com os bancos, anjos, e com venture capitals. Depois de certo período conseguimos levantar alguns milhões de dólares mas gastamos muito tempo e energia para captar esse investimento.

O negócio cresceu, abrimos várias filiais, até tivemos franqueados e parecia que o negócio andava no caminho certo…. até o Lehman Shock baquear o mundo: o mercado de imóveis parou totalmente, e assim, influenciou drasticamente o serviço de design de interiores e na aquisição de móveis por parte dos consumidores.

Tivemos algumas alternativas: vender a empresa, tentar levantar investimento de novo ou fechar a empresa. Após certo planejamento, meu amigo cofundador decidiu continuar o negócio e, para ser sustentável com overhead menor, eu saí da empresa em 2010. A empresa ainda continua operando, completando 21 anos de história.

Depois, eu fiz MBA na Espanha, imaginando qual seria a próxima etapa em minha vida, escolhendo a América Latina por 3 razões:

1. Mercado com potencial alto no longo prazo (mais do que o Japão).

2. Relativamente baixa quantidade de empresas japonesas atuando.

3. Capacidade de sobrevivência (infelizmente, para os japoneses, a América Latina é considerada como um local com muitos problemas de segurança social, mesmo sem ter informações relevantes para chegar a essa conclusão)

Eu visitei 13 países na América Latina entre 2010 e 2011, conseguindo uma oferta pela Bain & Company no escritório brasileiro, decidindo, dessa maneira, morar no Brasil.

Após 2.5 anos na Bain, já estava querendo empreender novamente. Depois de 2010, o ecossistema de startups no Japão evoluiu muito, tendo fundos de VC em cada etapa de amadurecimento das mesmas, com casos bastante relevantes de saída.

No entanto, o ecossistema brasileiro em 2014 estava muito diferente do que vemos hoje. Haviam muitas aceleradores e a maioria dos fundos de VC estavam no patamar de série A, não havendo nenhum fundo atendendo a demanda do Seed money (exceto por alguns anjos). Apenas alguns poucos casos de sucesso aconteceram.

Eu me lembrei do meu sofrimento na fase do Seed e queria imensamente ajudar os empreendedores nessa fase.

Assim que o Brazil Venture Capital nasceu. O fundo se caracteriza, desde então, como pró-empreendedor, foco no seed e estilo hands-if (sendo empreendedor, entendo profundamente no que os investidores podem ajudar dentro do negócio de cada empreendedor). Além da minha experiência, temos investidores no nosso fundo que são empreendedores que fizeram IPO no Japão e gestores de VC em outros países.

Olhando a tendência do mercado brasileiro, não é do interesse dos fundos ficar no patamar de Seed. Pensando na natureza do modelo de negócio de fundos, isso faz muito sentido devido ao fato de que é mais atrativo que cada investimento seja grande porque o volume de trabalho para analisar uma startup não varia seja para investir R$1M ou R$10M.

Em 2021, mesmo que os fundos grandes com volume investido no mercado estejam crescendo rápido, vemos que ainda há muito espaço para o investimento Seed no Brasil e em outros países na América Latina. Por isso, o Brazil Venture Capital é focado em ajudar os empreendedores na fase de Seed, tendo o time muito reduzido, porém extremamente produtivo. Acreditamos que dessa forma podemos contribuir para os empreendedores e entregar maior rentabilidade para os nossos investidores.

Com a minha experiência de empreendedor (que passou pelo mesmo desafio) e com a minha capacidade de consultor que entrega resultado para as empresas, apoiamos você das seguintes maneiras:

  • Ajudamos a construir o seu negócio, sabendo várias práticas de sucesso para não gastar muito tempo e energia para testar e rodar muitas tentativas.
  • Analisamos o seu negócio e damos insights para que o empreendedor veja o negócio de um ponto de vista distinto.
  • Criamos a apresentação da proposta para atrair seus clientes e visitamos clientes junto, caso faça sentido para você.
  • Damos suporte para a construção do plano financeiro e estratégia de rodadas sabendo qual fundo está ativo neste momento, tamanho de investimento realizado e padrão dos negócios (fase, tema, setor…etc.) que cada fundo gosta. Além disso, muitas vezes, procuramos investidores para você ( 75% das startups conseguiram as rodadas depois da nossa entrada.)

Caso seja do seu desejo, ficamos quietos até você nos chamar. De novo, somos verdadeiramente hands-if.

Nós acreditamos que para as coisas acontecerem é necessário empreendedores determinados, com paixão pelo seu negócio. Nós oferecemos suporte para que você possa focar na solução.”

Mitsuru Nakayama, Fundador e Diretor da BVC

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store